Yamamoto Tsunetomo

Description:
Level 1

Desolado em terras geladas estranhas, em dois anos Yamamoto construiu uma pacífica nova vida. Para suprir suas necessidades básicas, se tornou armeiro nos arredores da cidade de Dhunraven, um grande vilarejo localizado nos limites do reino gelado de Bloon Rein. Até que um dia, o espírito de Musashi lhe aparece e alerta que “teria a chance de reconstruir seu Shogunato”. O espírito disse que deveria proteger o terceiro homem que recebesse naquele dia, que traria algo pertencente à sua terra. Esse homem era Andrei Rublev.

O detentor da espada vermelha dracônica (que tinha numa pedra que brilhava junto com o amuleto encontrado no templo de Beoh) deveria ser protegido a qualquer custo.

The red dragon falchion

Assim, Yamamoto se despediu do menino, cujo nome verdadeiro ele não conseguia pronunciar, mas Tsunemoto apelidou de “Kanoko Nambara”, a criança que tomou como aprendiz da arte samurai e o único que entendia a sua língua, e vestiu sua antiga armadura. Yamamoto pegou em mãos sua Katana e Wazakashi, espadas ancestrais de seus pais, e se preparou para a batalha e o longo caminho a frente. Seu objetivo era acompanhar e proteger Rublev em sua missão.

Assim, enfrentou Goblins ladrões para defendê-lo, e conheceu Capitão Royster (Horster) e seu assistente, um halfling que o desafiou para uma queda de braço – e perdeu – mesmo com suas luvas de força impressionante.

Na embarcação do capitão com destino à fortificada vila de Khador, o barco deles atolou no gelo e acabaram sofrendo o ataque de goblins – ainda bem que eles tinham pólvora! Ficaram à deriva e precisaram se guiar no meio da floresta perigosa que separava Dhunraven de Khador. Enfrentaram lobos selvagens, gnolls e um ogro, que matou o halfling que os acompanhava. Com o mandado do próprio barão de Dhunraven, chegaram a Khador.

Ao chegarem a Khador, ficaram sabendo que Kiril, clérigo mestre de Rublev, não havia ainda retornado de sua diligência anual de encontro e comércio com os Povos Primitivos. A situação era ainda pior: o Warden (prefeito) Aelric temia muito pelo pequeno Allayn, o filho do Barão que estava representando o chefe de Dhunraven no evento. O prefeito então pede aos aventureiros que chequem o que aconteceu.

Ele dispõe um de seus guardas recentes, Smaga, um forte neanderthal bárbaro da região, para acompanhá-los, visto que o próprio capitão Royster precisou ficar na cidade para arrumar um novo barco. Antes de partirem, conheceram Cordwellyn, delegado da vila e conhecedor da região, que indicou Laureah Hanz, sua filha, menina magra com olhos e cabelos vermelhos, exibindo em seu rosto traços levemente orientais, para os levarem até o local. Ela teve um affair com Rublev, jogando o charme dela contra ele, nessa ocasião. No caminho, foram atacados por guerreiros humanos. Ali, Laureah não foi mais vista. Foi quando Rublev deu falta da espada vermelha que Kirl lhe entregou. Até então, eles não sabiam que se tratava de uma emboscada…

Graças a Smaga, eles encontram o caminho. Ao chegarem no local onde deveria ter havido a troca, encontram vários corpos. Nenhum deles é de Kiril ou de Allayn, mas eles indentificam que eram do povo primitivo e de diligências de Dhunraven. O sangue na neve indicava que o evento aconteceu provavelmente na hora da troca. Smaga esteve lá. Ele revela que não houve batalha entre os dois povos. Havia então, um terceiro culpado. Logo, um grupo de neanderthais montados em tigres dentes de sabre se aproximam. Seu lider culpa o povo de Bloon Reign e – os aventureiros – pela desgraça. Diz que eles deveriam passar pelo Pat Ut Khalli — uma masmorra chamada “o caminho da morte” — para provarem sua inocência. Caso contrário, uma guerra entre o povo primitivo voltaria, quebrando a paz secular que havia se estabelecido.

Assim, eles são levados em ritual até a masmorra e lá combatem zumbis, aranhas gigantes e pequenos monstros voadores sugadores de sangue, entre vários perigos, passando por pontes quebradiças e locais caustrofóbicos.

O caminho os leva até um enigma, onde conseguiram abrir um portal. O portal os levou até a “casa” de uma ancestral anciã primitiva, que lhes revelou onde encontrariam a verdade.

Level 2

Os aventureiros, seguindo a “verdade” dada pela anciã, invadem a abandonada “Toca do Xamã”, onde enfrentam ninjas e os asseclas do orc Barrath, o traidor do povo primitivo, e guardas protetores da Morgri San, uma bruxa oriental seguidora de divindades pertubadoras.

Tsunemoto corta a cabeça dela, e eles encontram Allayn e uma carta recebida por Morgri que comprovava o envolvimento direto de Cordwellyn no ocorrido… E a participação de outros nomes no ataque. O escrito mencionou um tal de General Zeed e Laureah, confirmando o nome dela para algo não revelado na carta (“Quanto a Laureah, sim. É ela.”).

O Imperador oriental Lorde Hanzo Beoh e seu clã maldito estava envolvido.

Level 3

Os aventureiros voltaram a Khador. Ao olhar para a lua, Smaga decide deixá-los, retornando para seu povo. Seguiram Cordwellyn saindo da taberna, e viu ele se encontrando com Laureah na calada da noite. Eles pareciam íntimos demais. Os dois se sentiram seguidos, e a menina de cabelos vermelhos usou seu capuz de invisibilidade para abraçar Cordwellyn e despistar quem os tivessem seguido. Ao seguirem os rastros, deram em um beco e viram que os passos eram enormes demais para serem deles… E havia mais rastros. Com um frio na barriga, viram o vulto de um homem gigante passando, e várias sombras o acompanhando…

Então, buscando pistas através dos guardas de Khador, encontraram Laureah fugindo, nos limites do vilarejo, próximo à muralha que o delmita. O colar de Tsunetomo brilha, e a espada escondida na saia dela também. Rublev a acusa de roubo. Mas Tsunetomo sabia, através do espírito de seu Daymio, que ela era a verdadeira dona da espada. “Ela é a filha do imperador que trará a paz”. Então, ele a defendeu. E ela escapou.

Tentaram persegui-la. Mas ao invadirem a mansão do malvado Cordwellyn, se depararam com Laureah tremendo em um canto, horrorizada, e o corpo dele e de seus capangas fatiados. Ela chorava e disse que General Zeed havia feito isso. “Zeed não é um homem. É um monstro”.. “Fizeram isso pois nós falhamos”.

Sem ter para onde ir, Laureah então se entregou ao Warden para ser presa. Enquanto investigavam quem havia feito isso, Tsunetomo se deu conta que Laureah deveria ser solta e que Zeed iria logo invadir o Templo de Kyra onde Allayn estava sendo tratado.

Laureah estava para ser estuprada. O samurai e o capitão invadiram a prisão para salvá-la, e enfrentaram muitos homens. Tsunetomo estava quase morrendo quando Laureah usou a chama de sua espada para salvá-lo.

Enquanto isso, Rublev e outros seguidores de Kyra (os clérigos Bento – pároco responsável pelo templo – e Lisa, o paladino Barack e a feiticeira Hanna) defendiam o Templo das garras do temível Zeed. Um seguidor de Kyra, o idiota do Erick, achava que era besteira o que estavam fazendo e que todos ali estavam paranóicos. Saiu do templo e virou bife fatiado por Zeed, um samurai imenso de quatro braços. Os seguidores de Kyra aguentaram firme a invasão destruindo os ninja-sombra-fumaça dele, mas quase todos morreram. Só sobraram Rublev, Hanna e Barack, que ficou muito ferido.

A tempo, Laureah, Tsunetomo e Royster chegaram. Ao ver a espada nas mãos de Laureah, Zeed fugiu. Faltavam poucas horas para a revanche do general gigante de quatro braços e seus seguidores assombrosos. Allayn estava a salvo e seria mandado com pressa para Dhunraven.

Mas o reino inteiro de Bloon estava ameaçado.

Level 4

Os aventureiros foram descansar na estalagem nobre de Khador. Rublev teve um sonho onde Kiril pedia para segui-lo. Andrei viu Kiril escondendo algo para logo ser morto nas mãos de Zeed. A alma de Kiril mostrou seu próprio corpo morto para Rublev e disse que ele deveria tomar de volta seu cajado e um pergaminho, escondidos próximo de onde ele morreu. “Só com isso o Reino de Bloon será salvo”, foram suas últimas palavras. Logo então, ele é acordado por Laureah, que invadiu seu quarto e lhe pede desculpas pelo roubo da espada e que ela tem certeza que a espada pertencia a ela, pois tem lembranças de infância com o objeto mágico. O próprio poder maior dela só funcionava nas mãos de Laureah…

Porém a estalagem havia sido invadida pelas tropas negras ninja de Zeed. Eles salvaram a velhinha que cuidava da estalagem, mas não conseguiram salvar o vilarejo e nem mesmo Capitão Royster, que foi arrastado pelos ninjas para a escuridão.

A noite, à distância, era possível ver fumaça vindo de Dhunraven. O ataque foi massivo, e provavelmente em todos os feudos. Rublev sabia que a capital de Bloon Reign deveria ser salva para que seu povo se salvasse.

Laureah insistiu para acompanhá-los — ela queria ficar perto de Andrei. Rublev seguiu a imagem de seus sonhos, e encontrou o corpo de Kiril. Ali perto estava um pergaminho e o cajado escondidos.

Cajado

No pergaminho, havia uma partitura, e uma letra em língua antiga. Laureah disse conhecer alguém na capital que saberia decifrar o pergaminho.

No caminho, a lua estava vermelha. Eles tinham que passar por uma área selvagem perigosa, e o clima frio quase os matou – passaram por um lago congelado que se quebrou, quase os matando com o clima. Eles foram salvos por Smaga e seu povo, que os levaram para um complexo de cavernas e túneis subterrâneos.

O povo primitivo estava reunido. Orcs, Gnolls, Neandethais se pintavam e se preparavam para um mal que estava por vir. A profecia do Grande Monstro seria cumprida naquela noite de lua vermelha.

Os sacerdotes do povo primitivo deu a eles infantaria de tigres-dentes de sabre e itens mágicos para conseguirem alcançar a capital. Smaga estava se sentindo em dúvida se ficaria para enfrentar a profecia ou se acompanharia Rublev, Laureah e Tsunetomo no ataque que estava por vir.

Com relutância, ele os acompanhou até a capital. No caminho, enfrentaram trolls. Smaga teria que retornar com os tigres para a grande batalha.

A capital era uma fortaleza imensa, onde o castelo do rei imperava no topo. Laureah levou Tsunetomo e Rublev para uma casa localizada nos arredores da cidade, onde encontrariam o bardo que saberia ler a carta. Ela invadiu a casa e eles dormiram uma noite lá. Foi quando Smaga os deixou. Laureah ficou por lá enquanto Rublev e Yamamoto procurava o bardo no mercado da cidade.

No mercado, eles encontraram não encontraram o bardo, mas viram um item estranho, uma espécie de prancha metálica com luzes e escritos estranhos. Parecia inútil, mas mesmo assim um gordo careca de barba comprou.

Ao voltarem do mercado, viram Laureah sendo atacada por um homem, a acusando de traidora. Os dois aventureiros a salvaram e descobriram que Laureah devia algo ao bardo. O nome dele era Ozys Midium. Depois da traição de Laureah, o bardo deixou a vida de bandido para se tornar servidor real. Após acalmarem a ira do bardo, Ozys soube decifrar a notação musical, mas era incapaz de entender os escritos. Eles foram em um local onde um sábio os encontraria e poderia dizer o que dizia o pergaminho:

“Banhado a sangue Real
O Cajado de Umnrial,
Torna o exército fraco
em uma grande força Marcial

Mas somente quando a lua Sombreia
O sangue deverá se derramar em Kyra Cheia
O poder da multiplicação
Poderá ser usado para salvar a Nação"

Assim, eles deveriam então encontrar o Rei para salvar seu povo. Ozys, que tinha passagem livre para o castelo, levou Rublev para o trono. Mas o Rei, o velho nojento barbudo Khangor Lapikov, não acreditou no mal que estava por vir. Pior do que isso, Ozys Midium sabia que ele se negaria a derramar seu sangue azul “em vão”.

Enquanto isso, Tsunemoto estava com Laureah. Ele notou que ela possuía um comportamento típico dos orientais, e conversando com ela sobre a visão de seu Daymio, descobriu que ela herdava o sangue de seu Shogun, o que a emocionou.

Eles descansaram na casa do bardo, agora como convidados de Ozys. O bardo e Tsunemoto saíram cedo para tentar novamente com o rei, o que não adiantou. Naquela manhã, Laureah e Rublev ficaram sozinhos, e então o seguidor de Kyra finalmente se entregou à sedução da menina de cabelos vermelhos…

Ao saber que seu sangue também era real, Laureah decidiu derramá-lo para salvar o povo de Rublev. Contra a vontade do rei, e convencidos pelas informações que espiões do reino trouxeram ao bardo, o sargento Joan D’ Cavella montou, junto com os quatro aventureiros um plano de defesa do reino.

Level 5 e 6

De longe, era possível ver uma tropa imensa de soldados negros de Zeed avançando contra a capital. O general Zeed estava lá, marchando junto, contra a cidade. Homens da população local, soldados e guardas de elite do rei se posicionaram para defender a capital.

A população local ficou foragida nos túneis secretos da cidade. O rei assistia tudo de longe, no alto do vitral de seu trono.

Estranhamente, Smaga, agora com uma pele animalesca e olhos vermelhos, retornou à capital. Ele estava entre os soldados.

Laureah se posicionou em frente à lua enquanto Tsunetomo desferiu o golpe para espalhar o sangue no cajado, enfincado no chão acima da muralha da capital de Bloon Reign. O sangue dela tornou o cristal transparente em uma cor vermelha brilhante sob o luar, apontando para o exército. Clérigos do reino trataram de cuidar dela para que ela não morresse com o golpe, e ela se manteve em um êxtase hipnótico, com os olhos fora de órbita repetindo um mantra em uma língua estranha.

De repente, todos ali foram multiplicados por 3. Haviam então 3 Yamamotos, 3 Rublevs, 3 Smagas, 3 Ozys, 3 Sargentos Cavella, e 3 vezes mais cidadãos em combate.

Isso foi suficiente, mas ainda desafiador, para impedir que as tropas de Zeed avançassem. No entanto, alguns de seus ninjas infiltrados conseguiram atacar por trás, e por mais que Tsunetomo e Rublev tentaram chegar a tempo, só foram capazes de salvar Laureah e os clérigos do ataque, mas não de salvar o rei.

A cabeça dele foi vista quebrando o vitral e caindo no chão. O efeito da lua estava passando, e os soldados não iriam conseguir salvar a capital.

Foi quando o Sargento Cavella contou a Rublev um segredo: Andrei Rublev é o único herdeiro do trono, ocultado pelos olhos de Khangor desde o seu nascimento.

Rublev decidiu então salvar Laureah do mantra e usar o seu próprio sangue no cajado. Mais uma vez, Tsunetomo derramou sangue no item mágico, o que fez o restante das tropas se multiplicarem por 5.

Os ninjas que restaram foram sendo então destruídos um a um. Tsunetomo, Laureah, Smaga, Cavella e Ozys foram ao encontro de Zeed. Laureah e suas 4 cópias (sob o comando de Gustavo) apontaram a sua espada para o general e, como um sopro atômico de 5 dragões vermelhos, a chama queimou Zeed, transformando o monstro de quatro braços em um toco de carvão. Tsunetomo deu o golpe de misericórdia, jurando que seu clã inimigo jamais seria capaz de destruir novamente outro reino.

Mas a população local havia desaparecido.

Level 7

Depois do último suspiro de guerra vencida pelo Cajado da Multiplicação, o agora Rei Rublev se encontra preocupado com o desaparecimento dos civis nos túneis secretos da cidade-fortaleza, decidindo permanecer em seu trono do condado principal de Bloon-Rein. Uma cidade abandonada onde outrora em tempos ancestrais extintos halflings habitavam é onde as diligências reais suspeitam que a população sobrevivente foi parar.

Os generais do reino questionam a Smaga, Laureah e Tsunemoto se eles permanecerão em Bloon-Rein para restabelecer o reino e resolver esse mistério. Smaga não aceita e diz querer reestruturar o seu povo que também teve seu sangue derramado. A vontade de Laureah de voltar às suas origens e reconstruir o seu shogunato em sua terra natal leva Tsunetomo a acompanhá-la à uma jornada de morte pelo rastro de destruição deixado pelas tropas de Zeed.

No caminho, enquanto os dois desfaleciam em meio à uma terrível tempestade, algo cai do céu. Os dois vão averiguar e encontram um objeto estranho: em meio a fogo e fumaça, uma espécie de caverna de metal com janelas e luzes “mágicas” dentro, com escritos em uma língua desconhecida, se encontra enterrado na neve.

Eles entram e após um ato de curiosidade de Laureah, um jato de chamas sai dessa caverna. Através da janela agora não coberta de neve , eles veem um homem careca com uma tatuagem do clan de Zeed correndo. Tsunemoto vai atrás dele e duela contra o homem, que se identificou como alguém que divergia da posição do seu clã, deixado ao léu em ostracismo (apesar de sua aparência não mostrar que ele esteve muito tempo deixado na tempestade).

Esse homem é Thao (NARESSI), e aparenta ser um monge hábil com seu nunchaku e sua poderosa besta. Ele acompanhou os dois dizendo saber como chegar até o “oriente”, os levando por um caminho que leva inicialmente à uma pousada.

Apesar de ter decidido permanecer no trono, Rublev encontra Laureah, Thao e Tsunemoto nessa pousada, preocupado com o fato de ela carregar em seu ventre o herdeiro de seu trono, também predestinado shogun do que sobrou do clan destruído de Tsunetomo. Ele afirma estar em missão secreta, e não quer chamar atenção do reino pela sua presença.

O rei afirma saber como atravessar o oceano furioso para chegar ao oriente, dizendo que tem informações onde está o Capitão Royster, desaparecido após o ataque a Khador. Diz que somente ele possui as condições necessárias para atravessar para o mundo de onde os três de origem oriental vieram. “Royster está ao pé das Montanhas da Morte”, ele diz.

Na noite de descanso que antecedeu a jornada, Tsunemoto viu Laureah sangrando em suas pernas. Ela pede para não deixar Rublev preocupado. Pela janela do quarto delesera possível ver ao longe várias carruagens reais trafegando.

Os aventureiros e mais dois soldados do rei seguiram viagem no outro dia. No meio do caminho, encontraram uma outra charrete real que parou a charrete deles. Rublev conversou reservadamente com os soldados daquele transporte, que pareciam a distância confusos com a presença do rei. O soldado entregou uma carta a ele, que a guardou em sua cinta, embaixo do seu manto.

Após um caminho cheio de perigos, onde ladrões atacaram e danificaram a charrete real que levava os aventureiros, Laureah é deixada aos cuidados dos soldados do rei Rublev, que então os leva até uma masmorra onde jazia um colossal portal de gelo e ossos. O portal se mostrou um verdadeiro guardião da Masmorra, esmagando os três que ousavam entrar no local.

Rublev dissipou a magia que animava o portal, fazendo o monstro cair em pedaços no chão. Havia ainda em frente estátuas de gelo com esqueletos presos na parede de entrada. Acima da porta havia um esqueleto de capa negra com braços abertos, com uma pedra vermelha no peito. A porta era magicamente protegida. Thao nota que nos restos do portal destruído havia uma pedra vermelha semelhante. Com um pássaro mágico, a pedra foi pega e grudada acima pra abrir o portal. Thao e Tsunemoto entram na masmorra, enfrentando duas Quimeras-esqueleto. Tsunemoto conseguiu atingir alguns golpes de espada, o que tornava difícil derrubar os mortos-vivos pois para destruir ossos era necessário o uso de armas de impacto. Rublev tomou uma forma obscura-negativa, com uma sombria aura azul brilhante, que fez as quimeras voltarem a se submeter a estátuas em sua posição inicial.

Logo após isso, seguiram pela porta da direita, encontrando um altar ao esqueleto de capa negra "hostil"* encontrado em uma fonte. Rublev se aproxima e ativa uma armadilha que faz cair estalagtites nos aventureiros. Tsunemoto destrói uma porta dessa sala que dá para um corredor, onde encontram um espectro, que os ataca….

Bio:

Tsunetomo nasceu em Katatae, próximo ao Castelo Nabeshima na província de Hizen em Em Wa-Te-Ni-Hon. Entrou para o serviço do senhor feudal Mitsushige Nabeshima com apenas nove anos de idade e durante anos seguintes serviu com zelo e lealdade ao seu senhor e ao seu clã. Mas o shogunato de seu clã estava dando seus últimos suspiros. Yamamoto, um dos últimos filhos da família Samurai de sua geração, enfrentou em terras orientais, com um grupo de irmãos fiéis ao seu daimyio Mitsusige Nabeshima, o terrível Lorde Hanzo Beoh. Em uma missão dada pelo próprio antigo shogun, participou de uma tentativa desesperada de destruir o lorde que desonradamente assassinou Nabeshima. Foi quando Yamamoto se tornou o último samurai do clã dragão em sua terra. Seus irmãos foram brutalmente assassinados um a um. Ainda era muito jovem quando conseguiu invadir o templo da morada de Beoh para vingar seu mestre e lá encontrou um colar que, ao tocá-lo, lhe mandou para longe de sua terra. Essa foi sua maldição que impediu de fazer justiça, mas também foi sua benção. Ainda inexperiente, Yamamoto jamais sobreviveria ao banho de sangue derramado em sua terra.

Yamamoto Tsunetomo

Kaltermonen MetalHogFuZ